Kiko Dinucci apresenta “Cortes Curtos"

Vinicius Felix / RedBull.com/Music / January 31, 2017

Em sessão exclusiva, Kiko antecipa duas músicas de seu disco solo que chega no início de fevereiro.

Quem acompanha de perto a carreira de Kiko Dinucci ouve falar de “Cortes Curtos” há algum tempo já. “O projeto existe desde 2011, quando comecei a compor músicas curtas. Eu fiz cerca de 40 músicas nesses cinco anos e fui sempre querendo gravar, mas sempre aparecia um outro projeto e atropelava esse”, conta Kiko.

Gravado no Red Bull Studio São Paulo, o álbum composto por 17 canções nas quais Kiko Dinucci conta com o apoio de Marcelo Cabral no baixo e Sergio Machado na bateria finalmente saí agora no mês de fevereiro. No disco, o peso do trio ganha um reforço com participações especiais de Juçara Marçal, Tulipa Ruiz, Ná Ozzetti, Thiago França, Rodrigo Campos, Guilherme Held, Rafa Barreto e Guilherme Valério.

Embora Robert Altman não seja um dos diretores favoritos de Kiko, é de um filme dele que o guitarrista pegou o nome do projeto emprestado por gostar da ideia do corte curto, algo que conversa tanto com a extensão das faixas quanto com o conteúdo das letras - histórias cotidianas que acontecem nas ruas da cidade de São Paulo.

Boa parte da edição do extenso repertório foi feita quando Kiko testava as canções em shows apenas de guitarra e voz, uma condição que forçava as canções a funcionarem sozinhas. “Hoje em dia, principalmente na minha geração, às vezes, a canção é botada em último plano. Às vezes, todo mundo manja de produção, manja fazer um arranjo bonito, mas a canção você sente que falta alguma coisa. Eu fico perseguindo a coisa do samba, de você fazer uma canção forte, simples, que dê pra mostrar batucando na mesa. A ideia de mostrar só com a guitarra era isso, mostrar a música no estado mais bruto”.

Nesta Stripped Sessions, ele apresenta versões exclusivas de "No Escuro" (vídeo acima) e "Crack para Ninar" (vídeo abaixo).