Elza Soares grava disco de inéditas no Red Bull Studio São Paulo

June 08, 2015

Projeto traz composições e arranjos de artistas como Kiko Dinucci, Rodrigo Campos, Marcelo Cabral, Romulo Fróes e Celso Sim.

“Um presente, uma dádiva.” É assim que Elza Soares descreve para a gente o encontro com o grupo de músicos expoentes da nova geração paulistana que aconteceu no Red Bull Station em maio. “São músicos maravilhosos, cada um melhor que o outro, quando junta todo mundo fica um Butantã. Ninguém sabe qual a melhor cobra que tem ali.”

A cantora e diva da música brasileira se prepara para lançar o primeiro disco inteiramente inédito da sua carreira, gravado no Red Bull Studio São Paulo. Por trás do projeto estão os compositores e instrumentistas Kiko Dinucci, Rodrigo Campos, Marcelo Cabral, Romulo Fróes e Celso Sim, que, com o produtor Guilherme Kastrup, são responsáveis pela criação e estética do novo álbum.

“São artistas que têm uma conexão muito forte com a Elza. Não é só uma ligação pessoal, ela remete à toda a tradição do samba da qual nós somos herdeiros e também a um espírito rock'n'roll, um jeito de abordar a música com energia”, conta Kastrup.  

Energia que Elza carrega desde os 13 anos, quando venceu o programa de calouros de Ary Barroso com sua voz. Com essa idade, já havia sido obrigada pelo pai a se casar com Alaúrdes, seu primeiro marido, e era mãe. Aos 21, tornou-se viúva. Mas seu grande amor foi mesmo Mané Garrincha, de quem fala até hoje, apesar da vida conturbada que tiveram juntos, devido ao problema de alcoolismo do craque. Recentemente, enfrentou sua terceira cirurgia na coluna, consequências do tombo que levou na antiga casa de show Metropolitan, em 1999. “Sou uma mulher vencedora, sou uma guerreira” afirma. Uma vencedora que continua na batalha. “Eu canto para as mulheres, para os negros, para os gays. Desde o primeiro sutiã rasgado até agora falta muita coisa. Falta rasgar muita calcinha”.​​

O álbum leva o nome de uma das faixas, A Mulher do Fim do Mundo, composta por Rômulo Fróes, e está previsto para outubro. Um disco que para ela representa um misto de lágrimas e alegria.